Acesse nossas flores anteriores

SÉRIE - ÁRVORES EM FLOR NA CIDADE DE SÃO PAULO

IPÊ-AMARELO

 

NOMES POPULARES:   ipê-amarelo, pau-d'arco-amarelo, ipê-do-morro, entre outros.        
                                                                                         
NOME CIENTÍFICO:    Tabebuia chrysotricha, Tecoma chrysotricha                            
                                
FAMÍLIA:                  Bignoniáceas

    

DESCRIÇÃO:         O ipê-amarelo, que vemos colorindo a cidade nesta época do ano, é uma árvore nativa do Brasil  que ocorre na floresta pluvial atlântica, do Espírito Santo até Santa Catarina. É uma árvore decídua, de copa arredondada, com altura de 4 a 10 m e tronco de 30 a 40 cm de diâmetro.  Possui folhas palmadas com 5 folíolos e flores amarelas grandes, em formato de trombeta, que atraem beija-flores; as semente são  aladas e estão  contidas em cápsulas ou vagens alongadas; estão prontas para a semeadura a partir do fim de setembro até outubro.

   

CULTIVO:       Plante a sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil e bem drenado. Regue regularmente durante o primeiro ano; uma vez implantada, a árvore suporta bem períodos de seca.     

FLORAÇÃO:           A floração é abundante e espetacular; ocorre entre fim de julho e setembro, conforme as condições locais, com a árvore totalmente despida de folhas.

 

PROPAGAÇÃO:          Multiplica-se  por sementes postas para germinar logo que colhidas.     

USOS:    O ipê-amarelo é usado tanto em  jardins residenciais como em ruas e parques. É indicado também para arborização urbana, pois tem crescimento moderado, raízes não invasivas e não interfere nas redes elétricas. A madeira é pesada, escura e resistente ao ataque de  cupins. É largamente usada  para esquadrias, pisos, móveis e instrumentos musicais.